quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Enviado pelo Armando!


O FUNERAL DOS NUMERAIS ORDINAIS

Foi um funeral bonito,
o que se seguiu à morte súbita
de Centésimo,
num programa matinal
da Televisão Nacional,
em que a locutora disse:
- Agora que chegámos ao cem programa,
perdão, ao programa cem...
Foi exactamente ao emendar-se,
que a douta, culta senhora
fez Centésimo cair redondo.
Para sempre.
E é claro,
como os numerais vivem todos
que nem peças de dominó
em pé e juntinhas,
Centésimo arrastou todos os seguintes.
Os ordinais assim extintos pela locutora
continuam e continuarão a tombar,
eternidade fora,
já que,
despidos da sua função,
coitados,
não servem para nada.
Os anteriores ao saudoso Centésimo,
que Gramática também chora,
vão definhando
e não deverão ter
destino diferente.
Já há muito que os ordinais
vinham sofrendo ataques.
Não se sabe ao certo quando
nem por quem,
mas entraram em extinção
nos finais do século XX,
sobretudo por acção
de apresentadores
e jornalistas das televisões
- desportivos e não só -
além de alguns tradutores.
Deram todos, às tantas,
em dizer antes “jornada três”,
“jogo dois
do campeonato vinte e quatro”,
“o ano quinhentos
da chegada de Cristóvão Colombo à América”,
“o minuto oitenta e nove do jogo”,
etc...
Não admira, por isso,
que já depois
da morte de Centésimo,
aquando da inauguração
de uns Jogos Olímpicos,
um comentador da cerimónia de abertura
tenha às tantas dito
que os jogos eram
os vinte e oito;
e os comentadores da ginástica,
não terem parado,
irritantemente,
de falar
na competição dois,
no concurso quatro,
na classificativa três, etc.
Custará assim tanto dizer
Primeiro,
Segundo,
Terceiro
e por aí fora?
Mas se calhar é no “por aí fora”
que está o busílis:
saberão dizer,
por exemplo,
quingentésimo,
em vez do quinhentésimo
que saiu da boca
da narradora dum documentário
sobre a chegada de Colombo à América?
O funeral de Centésimo
foi bonito,
mas infelizmente muito concorrido.
Infelizmente...
Dada a grande afluência
de palavras e expressões em extinção,
para não se referirem
- para já –
outros males
que fazem perigar a Gramática
e, por conseguinte,
a Língua Portuguesa.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Baptizado Costa Santos Martins Vaz, 1958