domingo, 29 de abril de 2012

O gato está a mais! Troque-se por mais um cão!


Charlie Chaplin - A Beautiful Sunday Morning

É oficial: tenho um feitio difícil!

Não gosto de mentiras
Não gosto de intrigas
Não gosto de confidências
Não gosto de segredos
Não sou imparcial
Não sou isenta
Não calo injustiças
Não defendo porque sim
Não defendo porque não
Não estabeleço limites
Não defino regras
Não reconheço galões
Não faço minhas as palavras dos outros…
Arrependo-me tantas vezes
Voltaria atrás, se pudesse
Corrigiria o mal que fiz
Faria melhor desta vez!
Mudaria como o vento
Embalava-me no mar
Gritaria ao ar que me leve
Porque já não posso mais.
Não sei agradar
Não sei ser de outro modo
Sei ser eu, assim, com pressa
Com paixão, com amor
Com vontade de arrasar
O que nos esmaga,
O que nos prende…

A isto é que se chama sensatez! Não gasto disso!


sábado, 28 de abril de 2012

Little Boxes - Walk off the Earth

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Miguel Portas... cedo demais

Devia morrer-se de outra maneira.
Transformarmo-nos em fumo, por exemplo.
Ou em nuvens.
Quando nos sentíssemos cansados, fartos do mesmo sol
a fingir de novo todas as manhãs, convocaríamos
os amigos mais íntimos com um cartão de convite
para o ritual do Grande Desfazer: “Fulano de tal comunica
a V. Exa. que vai transformar-se em nuvem hoje
às 9 horas. Traje de passeio”.
E então, solenemente, com passos de reter tempo, fatos
escuros, olhos de lua de cerimônia, viríamos todos assistir
a despedida.
Apertos de mãos quentes. Ternura de calafrio.
“Adeus! Adeus!”
E, pouco a pouco, devagarinho, sem sofrimento,
numa lassidão de arrancar raízes…
(primeiro, os olhos… em seguida, os lábios… depois os cabelos… )
a carne, em vez de apodrecer, começaria a transfigurar-se
em fumo… tão leve… tão sutil… tão pólen…
como aquela nuvem além (veem?) — nesta tarde de outono
ainda tocada por um vento de lábios azuis…
José Gomes Ferreira

25 de abril, dia da Liberdade, porque foi uma conquista!


segunda-feira, 23 de abril de 2012

Somebody, now you're just somebody that I used to know


Now and then I think of when we were together
Like when you said you felt so happy you could die
Told myself that you were right for me
But felt so lonely in your company
But that was love and it's an ache I still remember
You can get addicted to a certain kind of sadness
Like resignation to the end, always the end
So, when we found that we could not make sense
Well, you said that we would still be friends
But I'll admit that I was glad that it was over
But you didn't have to cut me off
Make out like it never happened and that we were nothing
And I don't even need your love
But you treat me like a stranger and that feels so rough
No, you didn't have to stoop so low
Have your friends collect your records and then change your number
I guess that I don't need, that though
Now you're just somebody that I used to know
Now you're just somebody that I used to know
Now you're just somebody that I used to know
Now and then I think of all the times you screwed me over
But had me believing it was always something that I'd done
But I don't wanna live that way, reading into every word you say
You said that you could let it go
And I wouldn't catch you hung up on somebody that you used to know
But you didn't have to cut me off
Make out like it never happened and that we were nothing
And I don't even need your love
But you treat me like a stranger and that feels so rough
No, you didn't have to stoop so low
Have your friends collect your records and then change your number
I guess that I don't need, that though
Now you're just somebody that I used to know
Somebody, I used to know
Somebody, now you're just somebody that I used to know
Somebody, I used to know
Somebody, now you're just somebody that I used to know
I used to know
That I used to know
I used to know
Somebody

Dia Mundial do Livro


Gotye - Somebody That I Used To Know (feat. Kimbra) - official video, imperdível

Somebody That I Used to Know - Walk off the Earth (Gotye - Cover)

domingo, 22 de abril de 2012



Peter Gabriel - Deep Forest - While the Earth sleeps (HD)

Planet Earth seen from space (Full HD 1080p) ORIGINAL

HOME

terça-feira, 17 de abril de 2012

Roald Dahl sabe!


“I have a passion for teaching kids to become readers, to become comfortable with a book, not daunted. Books shouldn't be daunting, they should be funny, exciting and wonderful; and learning to be a reader gives a terrific advantage.”


Coldplay - Life In Technicolor ii

Yes - And You And I - live

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Poema, Álvaro de Campos


Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.

As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente
Ridículas).

domingo, 15 de abril de 2012


THE SHADOWS - Apache. Live In Concert. The Final Tour 2003. (HD).

E Platão também sabia...


«Quando os pais se acostumam a deixar os filhos fazerem o que querem, quando os filhos não ouvem mais as suas palavras, quando os professores tremem diante dos seus alunos e preferem elogiá-los, quando finalmente os jovens desprezam as leis porque não reconhecem qualquer autoridade de nada ou de ninguém, então, está aí, com toda beleza e toda juventude o início da tirania».
Platão

sábado, 14 de abril de 2012

JJ Rousseau outra vez! o Homem lá sabe!


A nossa sociedade, garantidamente. não é democrática... é só ver a malta a vender-se por e a qualquer preço! Grande JJ Rousseau
«Uma sociedade só é democrática quando ninguém for tão rico que possa comprar alguém e ninguém seja tão pobre que tenha que se vender a alguém».
Jean-Jacques Rousseau

Os bons e os maus, segundo Rousseau

«O amor por nós mesmos, que só a nós diz respeito, sente-se satis­feito quando as nossas verdadeiras necessidades ficam satisfeitas; mas o amor-próprio - que se pretende comparar com ele - nun­ca se sente satisfeito nem o poderia estar, porque esse sentimen­to, que nos leva a preferirmo-nos aos outros, também exige que os outros nos prefiram a eles próprios; ora isso é impossível. Eis co­mo as paixões suaves e afectuosas têm origem no amor por si pró­prio, e como as paixões de ódio e de ira provêm do amor-próprio. Assim, o que torna o homem essencialmente bom é o facto de ter poucas necessidades e de pouco se comparar com os outros; o que o torna essencialmente mau é ter muitas necessidades e preo­cupar-se muito com a opinião. Sobre este princípio, é fácil ver co­mo se podem dirigir - para o bem ou para o mal - todas as pai­xões das crianças e dos homens. É verdade que, como não podem viver sempre sós, dificilmente poderão viver sempre bons: e esta dificuldade aumentará, necessariamente, com o alargamento das suas relações; e é nisso, sobretudo, que os perigos da sociedade nos tornam a arte e os cuidados mais indispensáveis para prevenir­ - no coração humano - a depravação originada pelas suas novas necessidades.»

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Amanhã, sexta-feira 13! Não sou supersticiosa, porque dá azar!


Atenção!

«Cuidado com as lágrimas, quando são estadistas os que as 
choram.»

Fernando Pessoa

manifesto anti Cavaco

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Ben Harper - I Will Not Be Broken

Muito difícil


Pontos de vista


Fácil


Difícil...


Linguagens


terça-feira, 10 de abril de 2012

Algumas respostas sobre o que se paga (ou não) no SNS


Há dispensa de cobrança de taxas moderadoras no âmbito das seguintes prestações de cuidados de saúde:

Consultas de Planeamento Familiar e actos complementares prescritos no decurso destas;

Consultas, sessões de Hospital de Dia, bem como actos complementares prescritos no decurso destas, no âmbito de doenças neurológicas degenerativas e desmielinizantes, distrofias musculares, tratamento da dor crónica, quimioterapia de doenças oncológicas, radioterapia, saúde mental e no âmbito das seguintes condições: deficiências de fatores de coagulação, infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana /SIDA e diabetes;               


Se for referenciado para a urgência pelo meu médico de família pago taxas moderadoras?

Não, os doentes que ao acederem ao serviço de urgência referenciados pela rede de cuidados de saúde primários estão isentos do pagamento da taxa moderadora devida pelo atendimento na urgência. Contudo, são devidas taxas moderadoras pelos exames efectuados.

Sou doente oncológico. Tenho isenção ou dispensa de pagamento de taxas moderadoras?

Os doentes oncológicos não estão directamente isentos pela sua condição, mas antes dispensados do pagamento de taxas moderadoras num conjunto de procedimentos, designadamente, consultas, sessões de Hospital de Dia, bem como actos complementares prescritos no decurso destas, no âmbito de quimioterapia de doenças oncológicas e radioterapia. Os doentes oncológicos devem obter um atestado médico de incapacidade multiuso para usufruírem de isenção universal de pagamento de taxas moderadoras (a isenção depende da atribuição de uma percentagem de incapacidade igual ou superior a 60%).

The Beatles - A Day in The Life

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Génios



domingo, 8 de abril de 2012


Páscoa - O Menino Jesus por Fernando Pessoa


Num meio-dia de fim de primavera
Tive um sonho como uma fotografia.
Vi Jesus Cristo descer à terra.
Veio pela encosta de um monte
Tornado outra vez menino,
A correr e a rolar-se pela erva
E a arrancar flores para as deitar fora
E a rir de modo a ouvir-se de longe.
Tinha fugido do céu.

Era nosso demais para fingir
De segunda pessoa da Trindade.
No céu era tudo falso, tudo em desacordo
Com flores e árvores e pedras.
No céu tinha que estar sempre sério
E de vez em quando de se tornar outra vez homem
E subir para a cruz, e estar sempre a morrer
Com uma coroa toda à roda de espinhos
E os pés espetados por um prego com cabeça,
E até com um trapo à roda da cintura
Como os pretos nas ilustrações.
Nem sequer o deixavam ter pai e mãe
Como as outras crianças.
O seu pai era duas pessoas
Um velho chamado José, que era carpinteiro,
E que não era pai dele;
E o outro pai era uma pomba estúpida,
A única pomba feia do mundo
Porque não era do mundo nem era pomba.
E a sua mãe não tinha amado antes de o ter.

Não era mulher: era uma mala
Em que ele tinha vindo do céu.
E queriam que ele, que só nascera da mãe,
E nunca tivera pai para amar com respeito,
Pregasse a bondade e a justiça!

Um dia que Deus estava a dormir
E o Espírito Santo andava a voar,
Ele foi à caixa dos milagres e roubou três.
Com o primeiro fez que ninguém soubesse que ele tinha fugido.
Com o segundo criou-se eternamente humano e menino.
Com o terceiro criou um Cristo eternamente na cruz
E deixou-o pregado na cruz que há no céu
E serve de modelo às outras.
Depois fugiu para o sol
E desceu pelo primeiro raio que apanhou.

Hoje vive na minha aldeia comigo.
É uma criança bonita de riso e natural.
Limpa o nariz ao braço direito,
Chapinha nas poças de água,
Colhe as flores e gosta delas e esquece-as.
Atira pedras aos burros,
Rouba a fruta dos pomares
E foge a chorar e a gritar dos cães.
E, porque sabe que elas não gostam
E que toda a gente acha graça,
Corre atrás das raparigas pelas estradas
Que vão em ranchos pela estradas
com as bilhas às cabeças
E levanta-lhes as saias.

A mim ensinou-me tudo.
Ensinou-me a olhar para as cousas.
Aponta-me todas as cousas que há nas flores.
Mostra-me como as pedras são engraçadas
Quando a gente as tem na mão
E olha devagar para elas.

Diz-me muito mal de Deus.
Diz que ele é um velho estúpido e doente,
Sempre a escarrar no chão
E a dizer indecências.
A Virgem Maria leva as tardes da eternidade a fazer meia.
E o Espírito Santo coça-se com o bico
E empoleira-se nas cadeiras e suja-as.
Tudo no céu é estúpido como a Igreja Católica.
Diz-me que Deus não percebe nada
Das coisas que criou —
"Se é que ele as criou, do que duvido" —
"Ele diz, por exemplo, que os seres cantam a sua glória,
Mas os seres não cantam nada.
Se cantassem seriam cantores.
Os seres existem e mais nada,
E por isso se chamam seres."
E depois, cansados de dizer mal de Deus,
O Menino Jesus adormece nos meus braços
e eu levo-o ao colo para casa.
(...)
Ele mora comigo na minha casa a meio do outeiro.
Ele é a Eterna Criança, o deus que faltava.
Ele é o humano que é natural,
Ele é o divino que sorri e que brinca.
E por isso é que eu sei com toda a certeza
Que ele é o Menino Jesus verdadeiro.
Esta é a história do meu Menino Jesus.
Por que razão que se perceba
Não há de ser ela mais verdadeira
Que tudo quanto os filósofos pensam
E tudo quanto as religiões ensinam?


Alberto Caeiro, in «O Guardador de Rebanhos»
VIII - Num Meio-Dia de Fim de Primavera

sábado, 7 de abril de 2012

Páscoa


Leonard Cohen - Hallelujah (original studio version)+Lyrics

A Árvore Generosa


                                                                      

 A Árvore Generosa         


            Era uma vez uma árvore que amava um menino.
E todos os dias o menino vinha, juntava as suas folhas e com elas fazia coroas, imaginando ser o rei da floresta. Subia o seu tronco, balançava-se nos seus ramos, comia as suas maçãs, brincavam às escondidas e quando ficava cansado dormia à sua sombra.
O menino amava aquela árvore como ninguém. E a árvore era feliz.
Mas o tempo passou. O menino cresceu. E a árvore ficava muitas vezes sozinha.
Um dia o menino veio e a árvore disse-lhe:
- Anda, menino. Anda subir o meu tronco, balançar-te nos meus ramos, comer maçãs, brincar à minha sombra e ser feliz.
- Já sou muito crescido para brincar – disse o menino. Quero comprar coisas e divertir-me. Quero dinheiro. Podes dar-me algum dinheiro?
- Desculpa – disse a árvore. Eu não tenho dinheiro. Só tenho folhas e maçãs. Leva as minhas maçãs, menino. Vende-as na cidade. Então terás dinheiro e serás feliz.
E assim, o menino subiu o tronco, colheu as maçãs e levou-as.
E a árvore ficou feliz.              
Mas o menino ficou longe da árvore durante muito tempo…
E a árvore ficou triste outra vez. Até que um dia o menino regressou e a árvore, estremecendo de alegria, disse:
- Anda, menino. Anda subir ao meu tronco, balançar-te nos meus ramos e ser feliz.
- Estou muito ocupado para subir a árvores – respondeu o menino. Eu quero uma casa para viver. Quero uma mulher e filhos. Para isso preciso de uma casa. Podes dar-me uma casa?
- Eu não tenho casa – disse a árvore. A floresta é o meu abrigo. Mas corta os meus ramos e constrói a tua casa. Então serás feliz.
O menino assim fez. Cortou os ramos e levou-os para construir uma casa.
E a árvore ficou feliz.
Mas, uma vez mais, o menino separou-se da árvore e quando voltou, a árvore sentiu-se tão feliz que mal conseguia falar.
- Anda, menino – sussurrou ela. Anda brincar.
- Estou velho e triste demais para brincar – explicou o menino. Quero um barco que me leve para bem longe daqui. Podes dar-me um barco?
- Corta o meu tronco e faz um barco – disse a árvore. Assim poderás viajar para longe… e ser feliz.
O menino cortou o tronco, fez um barco e partiu.
E a árvore ficou feliz… Mas não muito.
Muito tempo depois, o menino voltou novamente.
- Desculpa, menino – disse a árvore. Nada mais me resta para te dar. As maçãs foram-se.
- Os meus dentes são fracos demais para maçãs – explicou o menino.
- Já não tenho ramos – lamentou a árvore.
- Também já não tenho idade para me balançar em ramos – respondeu o menino.
- Não tenho tronco para subires – continuou a árvore.
- Estou muito cansado para isso – disse o menino.
- Desculpa – suspirou a árvore. Gostava de ter algo para te oferecer… mas nada me resta. Sou apenas um velho toco. Desculpa…
- Já não preciso de muita coisa – acrescentou o menino. Só um lugar sossegado onde me possa sentar e descansar. Sinto-me muito cansado.
- Pois bem – respondeu a árvore, endireitando-se o mais possível. Um velho toco é óptimo para te sentares e descansar. Anda, menino. Senta-te. Senta-te e descansa.
E foi o que o menino fez.
E a árvore ficou feliz.
A Árvore Generosa
Shel Silverstein


Para fazer o retrato de um pássaro



Para fazer o retrato de um pássaro
Pinta primeiro uma gaiola
com a porta aberta
pinta a seguir
qualquer coisa bonita
qualquer coisa simples
qualquer coisa bela
qualquer coisa útil
para o pássaro.
Agora encosta a tela a uma árvore
num jardim
num bosque
ou até numa floresta.
Esconde-te atrás da árvore
sem dizeres nada
sem te mexeres…
Às vezes o pássaro não demora
mas pode também levar anos
antes que se decida.
Não deves desanimar
espera
espera anos se for preciso
a rapidez ou a lentidão da chegada
do pássaro não tem qualquer relação
com o acabamento do quadro.
Quando o pássaro chegar
se chegar
mergulha no mais fundo silêncio
espera que o pássaro entre na gaiola
e quando tiver entrado
fecha a porta devagarinho
com o pincel.
Depois
apaga uma a uma todas as grades
com cuidado não vás tocar nalguma das penas
Faz a seguir o retrato da árvore
escolhendo o mais belo dos ramos
para o pássaro
pinta também o verde da folhagem a frescura do vento
e agora espera que o pássaro se decida a cantar.
Se o pássaro não cantar
é mau sinal
é sinal que o quadro não presta
mas se cantar é bom sinal
sinal de que podes assinar.
Então arranca com muito cuidado
uma das penas do pássaro
e escreve o teu nome num canto do quadro.
(tradução de Eugénio de Andrade do original «Pour faire le portrait d’un oiseau»de Jacques Prévert)

Iron And Wine - Such Great Heights

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Forever by Ben Harper

Van Morrison - These Are The Days


Boa Páscoa com Kestutis Kasparavicius


quarta-feira, 4 de abril de 2012

Há gente assim...


Azeitonas, Rosalina Pereira. Adoro...


Accidentally in Love (w/ lyrics)

Frase do dia: «Todos os malandros têm sorte!»


terça-feira, 3 de abril de 2012


segunda-feira, 2 de abril de 2012

Eu até tenho sentido de humor, por isso quero!




Pearl Jam - Wishlist

I wish I was a neutron bomb, for once I could go off.
I wish I was a sacrifice but somehow still lived on.
I wish I was a sentimental ornament you hung on
The christmas tree, I wish I was the star that went on top,
I wish I was the evidence
I wish I was the sun for fifty million hands upraised, and opened toward the sky.

I wish I was a sailor with someone who waited for me.
I wish I was as fortunate, as fortunate as me.
I wish I was a messenger, and all the news was good.
I wish I was the full moon shining off a camaro's hood.

I wish I was an alien, at home behind the sun,
I wish I was the souvenir you kept your house key on.
I wish I was the pedal break that you depended on.
I wish I was the verb "to trust", and never let you down.

I wish I was a radio song, the one that you could turned up,
I wish, I wish, I wish, I wish,
I guess it never stops.


When You Wish Upon A Star

When You Wish Upon A Star - Pinocchio -



When you wish upon a star
Makes no difference who you are
Anything your heart desires
Will come to you

If your heart is in your dream
No request is too extreme
When you wish upon a star
As dreamers do

Fate is kind
She brings to those who love
The sweet fulfillment of
Their secret longing

Like a bolt out of the blue
Fate steps in and sees you through
When you wish upon a star
Your dreams come true

Fate is kind
She brings to those who love
The sweet fulfillment of
Their secret longing

Like a bolt out of the blue
Fate steps in and sees you through
When you wish upon a star
Your dreams come true


«Choveu na palavra onde eu estava.» Manoel de Barros/Peter Reynolds


Porque sim...


So happy


Marie Desbons




domingo, 1 de abril de 2012

É assim tantas vezes...


Pensamento da noite

"Sempre que houver alternativas tenha cuidado. Não opte pelo conveniente, pelo confortável, pelo respeitável, pelo socialmente aceitável, pelo honroso. 
Opte pelo que faz o seu coração vibrar. Opte pelo que gostaria de fazer, apesar de todas as consequências."


OSHO

I just want you to hurt like I do, Randy Newman


I ran out on my children
And I ran out on my wife
Gonna run out on you too baby
I done it all my life
Everybody cried the night I left
Well almost everybody did
My little boy just hung his head
And I put my arm put my arm around his little shoulder
And this is what I said:
"Sonny I just want you to hurt like I do
I just want you to hurt like I do
I just want you to hurt like I do
Honest I do honest I do, honest I do"


If I had one wish
One dream I knew would come true
I'd want to speak to all the people of the world
I'd get up there, I'd get up there on that platform
First I'd sing a song or two you know I would
Then I'll tell you what I'd do
I'd talk to the people and I'd say
"It's a rough rough world, it's a tough tough world
Well, you know
And things don't always, things don't always go the way we plan
But there's one thing, one thing we all have in common
And it's something everyone can understand
All over the world sing along


I just want you to hurt like I do
I just want you to hurt like I do
I just want you to hurt like I do
Honest I do, honest I do, honest I do" 

Isabel Allende

«Mi vida ha consistido en desafiar la autoridad, lo que me enseñaron de pequeña. La vida es puro ruido entre dos silencios abismales. Silencio antes de nacer, silencio después de la muerte.»


Isabel Allende.
Escritora.

Maria Pipoca, imparável!


Midnight In Paris Movie Trailer Official (HD), também quero ver!

Intouchables Trailer, quero ver!


Amanhã