quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Moldy Peaches - Anyone Else But You w/ Lyrics

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Beethoven Piano Sonata n. 5 in c-minor Op. 10 n. 1 Miguel Henriques pian...

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Ela foi raptada, ele salvou-a, casaram-se e...

















A primeira saída deste ano, Casa de Burgos, ERA UMA VEZ, marionetas em acção!









domingo, 27 de novembro de 2011

O meu mano, o Guilherme


Eu tenho um irmão chamado Guilherme, ele encanta-me como a minha mãe, o meu pai, a minha irmã, eu gosto muito deles.
           O meu irmão não é muito alto nem muito baixo, tem cabelos castanhos, olhos castanhos, é magro, gosta de futebol, de hóquei em patins. Quando eu soube que a minha mãe estava grávida dele eu disse que queria uma irmã, como a maior parte das raparigas costuma dizer, mas depois quando ele nasceu foi diferente: eu fiquei muito contente por saber que tinha um irmãozinho e era engraçado estar ali em frente a um bebé e ele estar a rir porque nos acha graça.
            Foram passando os anos e agora ele já tem seis anos, entrou agora para a primária. Eu, como irmã mais velha, conto-lhe histórias, brinco com ele, escrevo-lhe os jogos no computador mas às vezes também nos zangamos ou por isto ou por aquilo mas tudo passa num instante e já estamos a brincar juntos ou a fazermos uma corrida de bicicleta na wii. Eu gosto muito dele, é simpático, carinhoso, engraçado, divertido, brincalhão, estudioso (quando chega a casa vai logo fazer os trabalhos de casa). Eu gosto muito do meu irmão.
   
Maria Carolina Malato Santos

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Adele - First Love (with on-screen lyrics)

Quem me encanta... o meu irmão

  
         Eu sou o Victor, tenho dez anos, ando na escola André de Resende, no quinto ano, na turma G.
         Eu sou do Chile e vim para aqui porque os meus pais vieram fazer o doutoramento a Évora, e o que aconteceu é que como eles gostaram de Évora nós ficámos por cá.
         Como este é um texto do meu irmão, eu não vou continuar a perder tempo falando sobre mim, mas sim do meu irmão Gabriel, que anda também nesta escola. Ele anda no sétimo ano, na turma A, tem doze anos, tem muitos cabelos pretos e acho que tem uma admiradora.
         Ele é um bocado chato comigo mas é engraçado. Ele sempre andava a mover os cabelos para a esquerda, mas como agora ele cortou os cabelos na parte de frente já não faz isso. 
         A coisa que ele tem e que não deveria ter é um peluche chamado António Ezequiel, e é uma zebra.
         Na minha casa ele apanha-me de surpresa, agitando o meu corpo como se eu estivesse numa montanha russa e eu não gosto de montanhas russas.
         Na minha casa é mesmo assim: o meu irmão chateia-me, eu também chateio-o e a minha mãe para-nos.
         Eu acho que ele é simpático, e eu também sou simpático com ele.


Víctor Vidal 5ºG

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Só para constatar...o que muda... sem explicação...


Roald Dahl, sempre sábio!


terça-feira, 22 de novembro de 2011

Silêncio-Madredeus

Não digas nada!

Não Digas Nada!

Não digas nada!
Nem mesmo a verdade
Há tanta suavidade em nada se dizer
E tudo se entender —
Tudo metade
De sentir e de ver...
Não digas nada
Deixa esquecer

Talvez que amanhã
Em outra paisagem
Digas que foi vã
Toda essa viagem
Até onde quis
Ser quem me agrada...
Mas ali fui feliz
Não digas nada.

Fernando Pessoa, in Cancioneiro

Beethoven Piano Concerto n. 5 «Emperor» Miguel Henriques piano Orq. Sinf...

Chove. Que fiz eu da vida ?



 
 Chove. Que fiz eu da vida? 
Fiz o que ela fez de mim... 
De pensada, mal vivida... 
Triste de quem é assim!  
 
Numa angústia sem remédio 
Tenho febre na alma, e, ao ser, 
Tenho saudade, entre o tédio, 
Só do que nunca quis ter...  

Quem eu pudera ter sido, 
Que é dele? Entre ódios pequenos 
De mim, estou de mim partido. 
Se ao menos chovesse menos! 
  
 
F.Pessoa, 23-10-1931

CAI CHUVA DO CÉU CINZENTO - FERNANDO PESSOA

Cai chuva do céu cinzento
Que não tem razão de ser.
Até o meu pensamento
Tem chuva nele a escorrer.
Tenho uma grande tristeza
Acrescentada à que sinto.
Quero dizer-ma mas pesa
O quanto comigo minto.
Porque verdadeiramente
Não sei se estou triste ou não,
E a chuva cai levemente
(Porque Verlaine consente)
Dentro do meu coração.
.

BILHETE


Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda…
Mário Quintana

Bee Gees - In The Morning

segunda-feira, 21 de novembro de 2011


Évora


Visitas...



14000

Beethoven Für Elise Miguel Henriques piano

domingo, 20 de novembro de 2011

A Suspeita (1de3)

A Suspeita (2de3)

A Suspeita (3de3)

Aquarela - Toquinho e Vinicius

O Caderno (Toquinho e Vinícius)

«Toda criança tem de ser bem protegida, contra os rigores do tempo, contra os rigores da vida». «Não apenas aqueles que a lei assegura, mas também os que só muita liberdade, brincadeira e alegria podem garantir: direito a correr na beira do mar, a ver uma estrela cadente, filme que tenha robô, ganhar um lindo presente, ouvir histórias do avô». Ruth Rocha


Os direitos das crianças

Olá! Sabias que tu por teres idade inferior a 18 anos tens direitos especiais? Pois é, e eles são 54 artigos que te defendem. A Organização das Nações Unidas proclamou que a infância tem direito a uma ajuda e assistência especiais, e sabias também que a Declaração dos Direitos da Criança, foi adoptada em 20 de Novembro de 1959 pela Assembleia Geral das Nações Unidas? Isso já foi há 44 anos!
Vamos aqui enumerar alguns desses teus direitos, porque tal como o artigo 42 diz, tu deves conhecer e de compreender os teus direitos.
Artigo 1 - Todas as pessoas com menos de 18 anos têm todos os direitos escritos nesta Convenção;
Artigo 2 - Tens todos esses direitos seja qual for a tua raça, sexo, língua ou religião. Não importa o país onde nasceste, se tens alguma deficiência, se és rico ou pobre;
Artigo 3 - Quando um adulto tem qualquer laço familiar, ou responsabilidade sobre uma criança, deverá fazer o que for melhor para ela;
Artigo 6 - Todas as pessoas devem reconhecer que tens o direito à vida;
Artigo 7 - Tens o direito a um nome registado, ou seja, que haja um registo do nome dos teus pais, do teu próprio nome e de onde nasceste;
Artigo 9 - Não deves ser separado dos teus pais, excepto se for para o teu próprio bem, no caso dos teus pais te maltratarem ou não cuidarem de ti. Se eles se decidirem separar-se vais ter de ficar a viver com um deles, mas tens o direito de contactar facilmente os dois;
Artigo 10 - Se tu e os teus pais viverem em países diferentes, tens o direito a regressar e a viver junto deles;
Artigo 11 - Não deves ser raptado, mas se isso acontecer o governo do teus país tem de fazer tudo o que for possível para te libertar;
Artigo 12 - Quando os adultos tomarem alguma decisão que te afecte a vida, tens o direito de dar a tua opinião e de ser ouvido;
Artigo 13 - Tens o direito de descobrir coisas e dizer o que pensas através da fala, da escrita ou de outros meios, excepto se, ao fazê-lo, estiveres a interferir com os direitos de alguém;
Artigo 14 - Tens direito à liberdade de pensamentos e de praticares a religião que quiseres. Os teus pais têm o dever de te fazer compreender o que está certo e o que está errado;
Artigo 15 - Tens o direito a reunir-te com outras pessoas e a criar grupos ou associações, desde que não violes os direitos dos outros;
Artigo 16 - Tens o direito à privacidade. Podes ter por exemplo um diário, onde mais ninguém possa ter acesso;
Artigo 17 - Tens o direito de ser informado o que se passa no mundo através dos "media" (televisão, jornais, rádio, etc). Os adultos devem ter a preocupação que tu compreendes tudo;
Artigo 18 - Os teus pais devem educar-te, procurando o que é melhor para ti;
Artigo 19 - Ninguém deve exercer sobre ti qualquer espécie de maus tratos. Os adultos devem proteger-te contra abusos, violência e negligência. Mesmo se forem os teus pais eles não têm o direito de te maltratarem;
Artigo 20 - Se não tiveres pais, ou se não for bom para ti viveres com eles, tens o direito a protecção e ajudas especiais;
Artigo 21 - Caso tenhas sido adoptado, os adultos têm de garantir que tudo é feito de melhor maneira para ti;
Artigo 22 - Se fores refugiado (se tiveste de abandonar os teus pais por motivos de segurança), tens direito e cuidados especiais;
Artigo 24 - Tens direito à saúde. Se estiveres doente tens direito a ter acesso a medicamentos. Os adultos devem ter todo o cuidado que as crianças adoeçam, dando-lhes alimentação adequada;
Artigo 27 - Tens direito a um nível de vida digno. Isso significa que tens direito a comida, roupa, casa, se os teus pais não te poderem dar isso tudo o governo tem o dever de ajudar;
Artigo 28 - Tens direito à educação. O ensino básico deve ser gratuito. Também deves ter a possibilidade de frequentar o ensino secundário;
Artigo 29 - A educação tem como objectivo desenvolver a tua personalidade, talentos e aptidões mentais e fisicas. A educação deve também preparar-te para seres um cidadão informado, autonómo e responsável, tolerante e respeitador dos direitos dos outros;
Artigo 30 - Se pertenceres a uma minoria, tens o direito de viver de acordo com a tua cultura, praticar a tua religião e falar a tua língua;
Artigo 32 - Tens direito a protecção contra a exploração económica, ou seja, não deves trabalhar em situações que ponham em causa a tua saúde ou a tua educação. Em Portugal existe uma lei que proibe que crianças com menos de 16 anos não devem estar empregadas;
Artigo 33 - Tens direito a ser protegido contra o tráfico e consumo de drogas;
Artigo 34 - Tens o direito de ser protegido contra abusos sexuais, ninguém te pode tocar, tirar fotografias contra tua vontade;
Artigo 35 - Ninguém te pode raptar ou vender;
Artigo 37 - Não deverás ser preso, excepto como medida de último recurso, nesse caso tens direitos e cuidados próprios para a tua idade e a visitas regulares da tua familia;
Artigo 38 - Tens direito a protecção no caso de guerra;
Artigo 39 - Uma criança vítima de maus tratos ou de negligência, tem direito a protecção e a cuidados especiais;
Artigo 40 - Se fores acusado de teres cometido um crime, tens direito a defender-te. No tribunal, a policia, advogados e o juíz devem tratar-te com respeito e de procurar fazer-te compreender o que se está a passar;
Artigo 42 - Todos os adultos e crianças devem conhecer esta Convenção. Tens o direito a compreender os teus direitos e os adultos também.

Em memória das vítimas da estrada


Portugal no seu pior...


sábado, 19 de novembro de 2011

Ben Harper - The Three of us.wmv

Vozes para a Liberdade

Um filme sensacional... um presente dos meus meninos! Obrigada


sexta-feira, 18 de novembro de 2011

«A noite acendeu as estrelas porque tinha medo da própria escuridão», Mário Quintana

Van Gogh, A Noite Estrelada

POEMINHA DO CONTRA


Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!
 
Mário Quintana

Frase do dia... Ó malta dos testes e dos exames, pensem lá!

«Não tem porque interpretar um poema. O poema já é uma interpretação.»
Mário Quintana

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

The Cranberries - Ode To My Family

«I miss you so much», Van Morrisson

I miss you so much, I can't stand it
Seems like my heart, is breaking in two
My head says no but my soul demands it
Everything I do, reminds me of you

I miss you so much, in this house full of shadows
While the rain keeps pouring down, my window too
When will the pain, recede to the darkness
From whence it has come, and I'm feeling so blue

Ain't goin'down, no more to the well
Sometimes it feels like, I'm going to hell
Sometimes I'm knocking, on your front door
But I don't have nothing, to sell no more

Seems like the spirit, is pushing me onwards
I'm able to see, where I tripped and went wrong
I'll just have to guess, where my soul will find comfort
And I miss you so much, when I'm singing my song

Ain't goin' down, no more to the well
And sometimes it seems, I'm going to hell
You'll find me knocking, on your front door
But I don't have nothing, to sell no more

Seems like my spirit, is pushing me onwards
'Til I'm able to see where, I tripped when I went wrong
I'll just have to guess, where my soul will get comfort
I miss you so much, when I'm singing my song

I miss you so much, I can't stand it
Seems like my heart is breaking in two
My head says no, but my soul demands it
And everything I do, reminds me of you
Everything I do, reminds me of you

Van Morrison - Reminds me of you - live 1999

Swallowed In The Sea

Charles Trenet - La mer - Paroles ( karaoké)

Ao Longe O Mar-Madredeus

Ray Charles And The Voices Of Jubilaton, Oh, Happy Day

O meu dia, o do Mar

Miguel Valle de Figueiredo

Terroxoxô, um conto de Évora pelo 6ºB


Terroxoxô


Era uma vez uma mulher casada
dizia que o marido a adorava
se ela morresse ele nunca iria casar
nem outra mulher  voltaria a amar.

Uma vizinha bem lhe dizia
que isso era tudo uma fantasia,
o marido não a adorava
e em podendo até a matava.

Um dia o marido  a casa chegou
e nesse instante ali encontrou
a mulher esticada como morta
branca e caída atrás da porta.

A vizinha não tardou a chegar
mas avisou logo que não podia ficar
mandaria para lá a sua filha
sabendo que ela era uma maltrapilha.

A vizinha fez uma cama no chão
e nela colocou um colchão
dizendo que era para a gaiata se deitar
e aquele homem assim enganar.

Afinal quem se deitou
foi a mulher que sempre o amou
e quando pela noite adiante
lhe deu uma vontade deselegante,
ela levantou-se e ele disse-lhe assim:

- Ai minha alma meu serafim
que até no mijar fazes terlintintim;
Que a outra que o diabo levou
Quando mijava fazia terroxoxô.

A mulher apareceu ali ao lado
e deixou o marido acabrunhado.
Bendito louvado
conto acabado!

Alexandra Mamede
Ana Cruz
Carolina Escada
Margarida Franco
Maria Padrão
6ºB


terça-feira, 15 de novembro de 2011

Crosby, Stills, Nash & Young - Teach Your Children

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Santana - Festival - 07 - The River

domingo, 13 de novembro de 2011

Vídeo lápis

sábado, 12 de novembro de 2011

Un Dia De Noviembre

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Continuação... pela Mafalda!


Nils levantou-se e pensou bem como seria a sua vida daquele momento para diante.
Nils foi andando à procura de abrigo onde se pudesse proteger. Quando Nils estava prestes a parar para descansar observou uma pequena luzinha e decidiu caminhar até ela.
Nils ficou espantado quando viu uma série de gnomos. Nesse momento um dos gnomos dirigiu-se a ele e disse-lhe que onde ele se encontrava era a Gnomoland, a terra dos gnomos. Todos os gnomos que lá estavam eram trabalhadores, simpáticos e tinham o dever de ajudar as crianças. Cada um tinha a sua tarefa.
O Nils encontrou uma pequena bancada onde aparecia o nome de uma criança, a sua foto, idade e que gnomo a iria ajudar.
Nils estava curioso, nesse preciso momento uma rapariga apareceu na tal bancada, ela chamava-se Alice, tinha catorze anos e o gnomo que a iria ajudar era ele o próprio Nils. Então Nils carregou num botão e foi transportado para casa da menina.
Era rebelde, a rapariga. Era má, estava-se nas tintas para a escola, era preguiçosa. Nils viu-se numa aventura, Nils queria mudar, então ajudaria a rapariga e mudava-se a si mesmo.
Começou por ajudá-la a ser bem comportada, depois por a ajudar a fazer os trabalhos de casa e ajudou-a a ser uma boa aluna:
- Estava sempre atenta nas aulas;
- Tinha bons resultados nos testes;
- Era assídua;
- Fazia sempre os trabalhos de casa;
- Respeitava os professores;
Nils estava muito satisfeito com o que tinha feito, o seu comportamento tinha mudado completamente ele sentia que sim. Ficou muito orgulhoso por ter ajudado a Alice, que também estava completamente diferente.
Um dos gnomos dirigiu-se a Nils e deu-lhe os parabéns. Nils agradeceu com muita gentileza, o gnomo pela sua dedicação em ajudar Alice resolveu transformá-lo outra vez numa pessoa.
Nils agradeceu, tinha aprendido uma grande lição.
Quando já estava em casa sentou-se na grande poltrona e recomeçou a ler.


                                     Mafalda de Sousa Mendes 5º G