quinta-feira, 30 de abril de 2009

Maio

Maio maduro Maio
Quem te pintou
Quem te quebrou o encanto
Nunca te amou
Raiava o Sol já no Sul
E uma falua vinha
Lá de Istambul

Sempre depois da sesta
Chamando as flores
Era o dia da festa
Maio de amores
Era o dia de cantar
E uma falua andava
Ao longe a varar

Maio com meu amigo
Quem dera já
Sempre depois do trigo
Se cantará
Qu'importa a fúria do mar
Que a voz não te esmoreça
Vamos lutar


Numa rua comprida
El-rei pastor
Vende o soro da vida
Que mata a dor
Venham ver, Maio nasceu
Que a voz não te esmoreça
A turba rompeu

Zeca Afonso

Fixa os teus olhos no texto abaixo e deixa a tua mente ler correctamente o que está escrito.

35T3 P3QU3N0 T3XTO 53RV3 4P3N45 P4R4 M05TR4R COMO 4 NO554 C4B3Ç4 CONS3GU3 F4Z3R CO1545 1MPR3551ON4ANT35!
R3P4R4 N15TO!
NO COM3ÇO 35T4V4 M310 COMPL1C4DO, M45 N3ST4 L1NH4 4 TU4 M3NT3 V41 D3C1FR4NDO O CÓD1GO QU453 4UTOM4T1C4M3NT3, S3M PR3C1S4R D3 P3N54R MU1TO, C3RTO?
POD35 F1C4R B3M ORGULHO5O D155O! 4 TU4 C4P4C1D4D3 M3R3C3!
P4R4BÉN5!

Os Amores de Pedro e Inês - blogue do 6º C


Os meus meninos do 6ºC conseguiram ficar num honroso 2º lugar no Concurso Inês de Castro promovido pelo P.N.L. Acho que posso dizer que estou muito orgulhosa do trabalho que fizemos, um trabalho de equipa que envolveu alunos, professores, biblioteca, Conselho Executivo e pais... penso que não me esqueci de ninguém!
Não, não é verdade, esqueci-me de mencionar a minha família, que me viu super-absorvida em trabalho, horas e horas dedicadas à montagem deste projecto! Obrigada, família! Lá vou eu estar insuportável mais uns tempos!!!


http://os-amores-de-pedro-e-ines.blogspot.com/

quarta-feira, 29 de abril de 2009

A partir de 30 de Abril em Lx, no Parque Eduardo VII

«Lisboa acolhe, entre 30 de Abril e 17 de Maio, a 79ª edição da Feira do Livro de Lisboa, certame que conta este ano com nova imagem, dinâmica e conceito, procurando alcançar os públicos mais jovens e a dinamização do gosto pelos livros e pela leitura desde a primeira hora.»

Horário

30 de Abril a 17 de Maio

2ª a 5ª Feira
Das 12h30 às 20h30

6ª e véspera de feriados

Das 12h30 às 23h00
Sábados

Das 11h00 às 23h00
Domingo

Das 11h00 às 22h00

Dia Mundial da Dança

Dia Mundial do Sorriso, mais vale um sorriso triste do que a tristeza de não saber sorrir...

terça-feira, 28 de abril de 2009

Linha Verde Recados da Criança


800 20 66 56

Para receber as queixas de crianças ou de adultos em seu nome, relativas a situações de risco ou de perigo em que se encontrem.
Até (infelizmente) dá jeito ter à mão...

Abril está quase no fim

Ainda sobre as mães... algumas, muitas, a maioria (de certeza)

"A minha mãe ama-me mais do que ninguém. Não vês mais ninguém a dar-me beijinhos para dormir."

um miúdo amado

A Charada da Bicharada, Alice Vieira e Madalena Matoso, prémio nacional de ilustração

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Coisas de Mãe... dia 3 de Maio!!!





Toca a Ler - Menino Nicolau neste período, em sala de aula!

Madagáscar 2

Mais uma brincadeira com som...

domingo, 26 de abril de 2009

APENAS A LÍNGUA PORTUGUESA NOS PERMITE ESCREVER ISTO...

Pedro Paulo Pereira Pinto, pequeno pintor português, pintava portas, paredes, portais. Porém, pediu para parar porque preferiu pintar panfletos. Partindo para Piracicaba, pintou prateleiras para poder progredir. Posteriormente, partiu para Pirapora. Pernoitando, prosseguiu para Paranavaí, pois pretendia praticar pinturas para pessoas pobres. Porém, pouco praticou, porque Padre Paulo pediu para pintar panelas, porém posteriormente pintou pratos para poder pagar promessas. Pálido, porém personalizado, preferiu partir para Portugal para pedir permissão para papai para permanecer praticando pinturas, preferindo, portanto, Paris. Partindo para Paris, passou pelos Pirineus, pois pretendia pintá-los. Pareciam plácidos, porém, pesaroso, percebeu penhascos pedregosos, preferindo pintá-los parcialmente, pois perigosas pedras pareciam precipitar-se principalmente pelo Pico, porque pastores passavam pelas picadas para pedirem pousada, provocando provavelmente pequenas perfurações, pois, pelo passo percorriam, permanentemente, possantes potrancas. Pisando Paris, permissão para pintar palácios pomposos, procurando pontos pitorescos, pois, para pintar pobreza, precisaria percorrer pontos perigosos, pestilentos, perniciosos, preferindo Pedro Paulo precaver-se. Por profundas privações passou Pedro Paulo. Pensava poder prosseguir pintando, porém, pretas previsões passavam pelo pensamento, provocando profundos pesares, principalmente por pretender partir prontamente para Portugal. Povo previdente! Pensava Pedro Paulo... Preciso partir para Portugal porque pedem para prestigiar patrícios, pintando principais portos portugueses.

- Paris! Paris! Proferiu Pedro Paulo. - Parto, porém penso pintá-la permanentemente, pois pretendo progredir. Pisando Portugal, Pedro Paulo procurou pelos pais, porém, Papai Procópio partira para Província. Pedindo provisões, partiu prontamente, pois precisava pedir permissão para Papai Procópio para prosseguir praticando pinturas. Profundamente pálido, perfez percurso percorrido pelo pai. Pedindo permissão, penetrou pelo portão principal. Porém, Papai Procópio puxando-o pelo pescoço proferiu: Pediste permissão para praticar pintura, porém, praticando, pintas pior. Primo Pinduca pintou perfeitamente prima Petúnia. Porque pintas porcarias?

- Papai, proferiu Pedro Paulo, pinto porque permitiste, porém, preferindo, poderei procurar profissão própria para poder provar perseverança, pois pretendo permanecer por Portugal. Pegando Pedro Paulo pelo pulso, penetrou pelo patamar, procurando pelos pertences, partiu prontamente, pois pretendia pôr Pedro Paulo para praticar profissão perfeita: pedreiro! Passando pela ponte precisaram pescar para poderem prosseguir peregrinando.

Primeiro, pegaram peixes pequenos, porém, passando pouco prazo, pegaram pacus, piaparas, pirarucus. Partindo pela picada próxima, pois pretendiam pernoitar pertinho, para procurar primo Péricles primeiro. Pisando por pedras pontudas, Papai Procópio procurou Péricles, primo próximo, pedreiro profissional perfeito.. Poucas palavras proferiram, porém prometeu pagar pequena parcela para Péricles profissionalizar Pedro Paulo. Primeiramente Pedro Paulo pegava pedras, porém, Péricles pediu-lhe para pintar prédios, pois precisava pagar pintores práticos. Particularmente Pedro Paulo preferia pintar prédios. Pereceu pintando prédios para Péricles, pois precipitou-se pelas paredes pintadas. Pobre Pedro Paulo, pereceu pintando... permita-me, pois, pedir perdão pela paciência, pois pretendo parar para pensar... Para parar preciso pensar. Pensei. Portanto, pronto pararei.

E você ainda se acha o máximo quando consegue dizer: 'O Rato Roeu a Rica Roupa do Rei de Roma'?

Depois do olho, a mão de Deus

sábado, 25 de abril de 2009

Do Brasil com amor

"Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
E ainda guardo
renitente
Um velho cravo para mim..."
Autor: Chico Buarque

ou

"Vem, vamos embora que esperar não é fazer
quem sabe faz a hora não espera acontecer..."
Autor: Geraldo Vandré


quinta-feira, 23 de abril de 2009

Chorar também faz bem... às vezes!

Um rapazinho de quatro anos tinha como vizinho um velhote que perdera recentemente a sua mulher. Depois de ter visto o senhor a chorar, o menino foi ao quintal do velhote, subiu para o seu colo e sentou-se. Quando a mãe lhe perguntou o que dissera ao vizinho, o rapazinho disse:
«Nada, só o ajudei a chorar.»

Livros e mais livros...

Minas, o Lápis Professor

quarta-feira, 22 de abril de 2009

No dia 23 de Abril, homenagem a Cervantes e Shakespeare






Dia da Terra




terça-feira, 21 de abril de 2009

Pelos seis milhões que morreram no holocausto e por todos os outros...

Dia do Café

Pois pois!



O POEMA DA 'MENTE'

Há gente que mente.
Mente
de corpo e alma, completamente.
E mente de maneira tão pungente
Que a gente acha que nos mente sinceramente.
Mas que mente, sobretudo, impunemente...
Indecentemente... mente.

E mente tão racionalmente,
Que acha que mentindo vida fora,
Nos vai enganar eternamente.

anónimo, oh!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

E porque há muitas cabeças no ar...e porque vem aí o calor!!!


«O que é estar apaixonado? Como é um rapaz? Como se dá um beijo na boca? Como é uma rapariga? O que é fazer amor? Como nascem os bebés?

O Guia da Vida Sexual da Malta Nova dá respostas a estas e outras questões que os jovens de 9-13 anos costumam fazer com a descoberta do amor e do sexo.»

Em Évora, 25 de Abril, Convento dos Remédios

Há 35 anos

DIAS DA MÚSICA EM BELÉM


Sábado,25 Abril 2009 - 22:00 horas
SALA ALMADA NEGREIROS

PREÇO
6€

MIGUEL HENRIQUES piano

domingo, 19 de abril de 2009

The Voca People

Temas da Semana



sábado, 18 de abril de 2009

Frase do dia

'Um verdadeiro amigo é aquele que entra quando o resto do mundo sai.'

A Montanha Mágica, a 30 de Maio numa livraria perto de ti

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Em Abril, águas mil e ainda as de Março

Hoje não quero dormir!!!

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Dia Mundial do Livro em Évora

quarta-feira, 15 de abril de 2009

Conta histórias e dança... ainda Christopher Walken

Three Little Pigs, Christopher Walken há uns anitos...

O livro do mês na Biblioteca Pública de Évora

«A segunda Guerra Mundial está em curso. Os tempos são difíceis na Polónia, especialmente para os judeus, e Alex é um deles. A mãe desapareceu e o pai foi “ seleccionado” pelo exército alemão para ir para um destino desconhecido. Só, Alex é obrigado a refugiar-se num edifício abandonado na Rua dos Pássaros. Aqui, deseja aguentar o Inverno e esperar o prometido regresso do pai.
Coragem e valentia não são excepcionais em tempo de guerra, mas Alex só tem onze anos e a sua história é, na verdade, sobre o desejo de alguém vencer a crueldade e a injustiça.»

Os Dias do Livro na Biblioteca Pública de Évora

19 | Domingo

16.00 horas

Teatro

No mundo maroto do livro ao contrário

Grupo de Teatro Infantil

Projecto Pedagógico – PIM Teatro

Coordenadoras Pedagógicas | Susana Gutierrez e Rita Leal

Coordenadora Pedagógica Principal | Alexandra Espiridião

Interpretação | João Coelho - 7 anos, Barnabé - 8 anos, Estrela - 12 anos, Maria Emília Ferreira - 7 anos, João Silvino - 11 anos, Camilo Vidal - 9 anos, Juna Almeida - 12 anos, Maria Teresa Prates - 13 anos, Raquel Morais - 12 anos, António de Souza - 12 anos

Entrada livre mediante inscrição prévia


22 | Quarta-feira

15.00 horas

Grupo de Leitura Juvenil – Gaspacho de Letras

Livro do mês: A ilha na rua dos pássaros, de Uri Orlev

Esta é uma actividade para jovens dos 10 aos 13 anos sobre a leitura, onde quem constrói cada sessão é o próprio grupo, com as suas opiniões e com uma orientação atenta de um adulto responsável que propõe as obras.

Entrada livre mediante inscrição prévia


23 | Quinta-feira

Dia Mundial do Livro

21.30 horas

Teatro

Estreia | Uma noite na biblioteca, pelo Teatro da Rainha

Quando a noite cai sobre a cidade, a biblioteca conhece uma nova vida: os livros descem das prateleiras, ganham corpo, retomam conversas interrompidas, cantam e brincam, lêem-se e lêem o mundo de fantasmas que vêem desfilar através das vidraças da sala de leitura. Encontro breve entre o mundo verdadeiro dos livros e o mundo verdadeiro dos homens visto da perspectiva do livro. A poesia está à solta.
Encenação: Luís Varela
Tradução: Christine Zurbach e Luís Varela
Interpretação: Isabel Lopes, José Carlos Faria, Victor Santos e Miguel Araújo

Entrada gratuita mediante reserva de bilhetes até às 17.30 horas do próprio dia


terça-feira, 14 de abril de 2009

A Teia

domingo, 12 de abril de 2009

Portal Europeu - Literatura para jovens

Páscoa! 'bora lá procurar os ovinhos...

sábado, 11 de abril de 2009

Aleluia, Sábado

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Amigos são anjos que nos levantam pelos pés quando as nossas asas não conseguem lembrar de como se voa.

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Da Vinci, A ÚLTIMA CEIA

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Obrigada, Jorge!

Mais um bocadinho de Páscoa

terça-feira, 7 de abril de 2009

Lembrar Eduardo Prado Coelho-Precisa-se de matéria-prima para construir um País, in Público

«A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres.
Agora dizemos que Sócrates não serve. O que vier depois de Sócrates também não servirá para nada.
Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates. O problema está em nós. Nós como povo. Nós como matéria-prima de um país.
Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro.
Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais. Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.
Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo
o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos... e para eles mesmos.
Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.
Pertenço a um país:
- Onde a falta de pontualidade é um hábito;
- Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano.
- Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e, depois, reclamam do governo por não limpar os esgotos.
- Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros.
- Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que é "muito chato ter que ler") e não há consciência nem memória política, histórica nem económica.
- Onde os nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média e beneficiar alguns.
Pertenço a um país onde as cartas de condução e as declarações médicas podem ser "compradas", sem se fazer qualquer exame.
- Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não lhe dar o lugar.
- Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o peão.
- Um país onde fazemos muitas coisas erradas, mas estamos sempre a criticar os nossos governantes.
- Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem corrompi um guarda de trânsito para não ser multado.
- Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português, apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim, o que me ajudou a pagar algumas dívidas.
Não. Não. Não. Já basta.
Como 'matéria prima' de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que o nosso país precisa.
Esses defeitos, essa 'CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA' congénita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até se converter em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente má, porque todos eles são portugueses como nós, ELEITOS POR NÓS. Nascidos aqui, não noutra parte...
Fico triste.
Porque, ainda que Sócrates se fosse embora hoje, o próximo que o suceder terá que continuar a trabalhar com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos.
E não poderá fazer nada...
Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá.
Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, nem serve Sócrates e nem servirá o que vier.
Qual é a alternativa?
Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror?
Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa 'outra coisa' não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente
estancados....igualmente abusados!
É muito bom ser português. Mas quando essa portugalidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda...
Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos mandam um messias. Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses nada poderá fazer.
Está muito claro... Somos nós que temos que mudar.
Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a acontecer-nos. Desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e, francamente, tolerantes com o fracasso. É a indústria da desculpa e da estupidez.
Agora, depois desta mensagem, francamente, decidi procurar o responsável, não para o castigar, mas para lhe exigir (sim, exigir) que melhore o seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido.
Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO DE QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO. AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO NOUTRO LADO.
E você, o que pensa?.... MEDITE!»

EDUARDO PRADO COELHO